PAGINA PRINCIPAL
BIOGRAFIA
TEXTOS
LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

UNIVERSIDADE DO TEXAS TECH

 

(TEXTO ATRIBUÍDO A ADRIAN ROGERS, 1931. AUTORIA NÃO CONFIRMADA)

 

         Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.

         Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.

         O professor então disse: - Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe..      Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas. Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam justas.

         Com isso ele quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"...

         Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

         Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos -eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma.

         Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos..

         Como um resultado, a segunda média das provas foi "D". Ninguém gostou.

         Depois da terceira prova, a média geral foi um "F". As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por justiça dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala.

         Portanto, todos os alunos repetiram o ano... Para total surpresa!!!
O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes.

Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado.

         "Quando a recompensa é grande", ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável."

 

 

 

DÊ SUA OPINIÃO
contato@curumba.net

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

acesso gratis
 

NOVEMBRO/2010

 

(ESTE TEXTO É PROTEGIDO POR DIRETO AUTORAL. SUA REPRODUÇÃO É PERMITIDA DESDE QUE O AUTOR SEJA INDICADO)

 

O QUE É SOCIALISMO, COMUNISMO, LIBERALISMO E SOCIAL DEMOCRACIA

 

O PORQUÊ DA DILMA (PT) ACUSAR

O SERRA (PSDB) DE PRIVATIZANTE,

O PORQUÊ DESTE ACUSAR O PT DE ESTATIZANTE

 

O PT É SOCIALISTA? O PSDB É CAPITALISTA?

 

 

            Muitos receberam em seus emails a mensagem que está no final deste texto (quem não leu, leia agora). É uma mensagem que narra um fato que teria acontecido numa sala de aula. O texto “Universidade Texas Tech” tenta mostrar através de uma historinha singela um exemplo prático de que o Socialismo não funciona. A história está certa?

 

 

 

 

SILOGISMO LÓGICO

 

 

                        O texto usa o chamado Silogismo Lógico. O Silogismo Lógico é aquele que diz, genericamente:

 

(A) João é homem (premissa maior);

(B) Todo homem é mortal (premissa menor);

(C) Logo, João é mortal (conclusão lógica).

 

            Mais especificamente o texto da Universidade Texas diz:

 

(A) O Socialismo é justo e igualitário (premissa maior);

(B) A classe tentou ser justa e igualitária e não deu certo (premissa menor);

(C) Logo, o Socialismo não dá certo (conclusão lógica).

 

 

            Tanto o “Silogismo do João” quanto “o Silogismo do Texto” estão corretos. Certo? O “Silogismo do João” está correto. Contudo o “Silogismo do Texto” está errado. Alguém saberia o porquê? Porque a estrutura lógica do Silogismo está certa, mas tanto a premissa maior quanto a menor estão erradas, o que nos leva a uma conclusão equivocada. O Socialismo não é justo e igualitário por si só (premissa maior). Não bastava a sala de aula tentar ser justa e igualitária (premissa menor) num contexto histórico e cultural isolado. Diante de tais falácias não podemos afirmar que o Socialismo não dará certo (Conclusão Lógica).

 

            Mas, então fica a pergunta: o que é o Socialismo?

 

            Antes de responder esta questão, vai aí uma provocação:

 

            Todo Socialista é um ditador! Todos que defendem o Socialismo defendem a ditadura. Toda ditadura é fascista. O professor do texto da Universidade em análise era um anarquista.

 

                        Explicarei, de forma não científica e sob meu ponto de vista, onde o texto da “Universidade do Texas” erra e o que é o Socialismo.

 

 

 

KARL MARX

 

            Para explicar o que é Socialismo necessário se faz lembrar de algumas lições dos bancos do colegial (2º grau), de forma bem resumida. Karl Marx (1818-1883), filósofo alemão formulou a idéia do Comunismo. Analisando a linha do tempo sob o aspecto materialista, social, político e econômico chegou à conclusão que, na história da humanidade, as sociedades evoluíam através de um sistema dialético materialista previsível.

 

 

 

DIALÉTICA

 

            Marx tomou emprestado o sistema dialético de seu contemporâneo Hegel (filósofo alemão 1770-1831). Hegel se utilizou deste sistema para explicar toda a história da filosofia, da ciência, da arte, da política e da religião. Tudo pelo viés das idéias, da espiritualização. Resumindo, a evolução dialética se divide em três momentos chamados: tese (o status quo), antítese (contradição interna) e a síntese (o resultante do conflito entre a tese e a antítese).

 

            Contudo, para Marx a dialética (tese, antítese e síntese) tinha outro objetivo, a saber: explicar a evolução das sociedades e da chegada inevitável do Comunismo através da dialética da existência materialista (materialismo dialético histórico). A dialética Marxista foi usada como instrumento para criticar a Sociedade Capitalista e prever o seu fim. Logo, de forma competente e completa (para os padrões da sua época) explicou todos os aspectos da evolução da humanidade.

 

            Pelo sistema dialético, para usar um exemplo, todo corpo (tese) tem a sua contradição interna (antítese) que se choca internamente; essa antítese vai crescendo naturalmente dentro do corpo até que, simplesmente, explode (revolução) e toma o lugar do corpo, se transformando em um novo corpo (síntese). Este novo corpo passa a ser a tese que tem outra contradição interna (antítese) que se choca internamente com o corpo (tese), que explodirá e se transformará em outro corpo (síntese)...e assim por diante. Para Hegel o sistema dialético explica a evolução inevitável do espírito. Para Marx a evolução material histórica é inevitável.

 

EVOLUÇÃO DAS SOCIEDADES

 

 

            Vocês devem estar se perguntando: Mas se essa discussão começou no século IXX, por que dura até hoje? Por que as idéias de Marx (em 1880) foram o pano de fundo da campanha eleitoral para presidente de um país longe da Alemanha, o Brasil, em 2010?

 

            A resposta é: Porque Marx defendeu suas idéias de forma clara e competente (não é que estejam certas) e desde então vários filósofos, economistas, sociólogos, políticos e psicólogos tentam explicar a sociedade em que vivem apoiando ou refutando as idéias de Marx. Entretanto, sempre usam essas idéias; isso ocorre ainda hoje. O outro motivo é que o Capitalismo (ou sua atual evolução) ainda existe e muitos ainda tentam combatê-lo ou defendê-lo.

 

            Para entender melhor, vamos à idéia de evolução das sociedades descrita por Marx. Para ele, a evolução histórica é esta:




 

 

 

 

 

 

 

 


 

  

            Veja que de um sistema social para outro se aplica a dialética. Ou seja, o sistema Comunismo Primitivo (tese) tinha a sua contradição interna que era o Escravagismo (antítese); o choque interno passou a ser tão grande que o Escravagismo eclodiu (síntese) de dentro do Comunismo Primitivo e passou a vigorar; então, o Escravagismo passou a ser a tese que tinha dentro de si a sua contradição, o Feudalismo (antítese); através da revolução o Feudalismo eclodiu (síntese) e passou a ter vida própria (tese), e tinha dentro de si a sua contradição, o Capitalismo....etc...

 

 

 

COMUNISMO PRIMITIVO

 

            Não vou analisar todas as sociedades, este não é o meu objetivo. Mas é importante descrever um pouco do Comunismo Primitivo. Neste, não havia Estado. O homem primitivo não produzia o que consumia, somente extraía do meio ambiente as suas necessidades. Não havia opressão de uma classe social sobre outra, porque não havia classes sociais.

 

CAPITALISMO

 

                        Marx viveu no auge do Capitalismo. Analisando como transcorreram os sistemas sociais anteriores e o qual vivia (Comunismo Primitivo, Escravagismo, Feudalismo, Capitalismo), “previu” através do sistema da dialética materialista o que viria à frente: Imperialismo, Socialismo e Comunismo.

 

                        Para tanto teve que analisar os aspectos sociais, econômicos, políticos e psicológicos do complexo mundo capitalista que vivia e combatia fervorosamente. Defendeu brilhantemente teses como Consciência de Classe, Mais Valia, Liberalismo, Democracia, Ditadura, Luta de Classes, Religião, Meios de Produção e vários outros. Ou seja, analisou os aspectos objetivos e subjetivos do seu tempo.

 

 

 

GLOBALIZAÇÃO

 

 

                        Muito se fala hoje de Globalização. Minha opinião é que a Globalização não é nada mais do que o Imperialismo que tanto Marx falava, ou seja, a internacionalização do Capitalismo (capital). O Imperialismo não é um novo modo de produção, é uma etapa superior do Capitalismo. Entretanto, suas modificações sociais são tão grandes que chego a lhe dar vida própria como uma nova fase da sociedade.

 

                        Para entender por que a teoria Marxista influenciou o debate eleitoral em 2010 no Brasil, dois pontos serão analisados: Político e Econômico.

 

 

 

REVOLUÇÃO

 

 

                        A passagem de uma sociedade para outra não se deu e não se dará de forma tranquila. De uma para outra sempre houve e sempre haverá uma revolução que irá derramar muito sangue; mas muito mesmo. A vinda de uma nova sociedade é inevitável; veio e virá naturalmente; aconteceu e acontecerá quer se queira ou não. Os elementos que tentarem manter o status quo do sistema social anterior serão massacrados, segundo Marx. Por isso, houve a revolução francesa que, simbolicamente, pôs fim ao Feudalismo e pariu o Capitalismo. Por isso, houve o massacre (físico e intelectual) dos povos colonizados pelos europeus e mais recentemente pelos americanos, para que houvesse a passagem do Capitalismo para o Imperialismo. Haverá revolução na passagem do sistema Capital-Imperialista para o Socialismo. O sangue dos Capitalistas Imperialistas irá jorrar. Após a revolução sangrenta, a Ditadura Fascista de “esquerda” irá impor o Socialismo. Marx chamava de Socialistas Utópicos aqueles que acreditavam que poderá haver a passagem para o Socialismo sem sangue. Só com a imposição do Socialismo através da força de uma Ditadura é que a sociedade seria plena na chamada Consciência de Classe. Aqui não é a classe da sala de aula; é a Consciência de Classe Social em que estão. Nesta fase todos terão forçosamente consciência que são proletários e devem ser igualitários e justos com seus semelhantes. 

 

 

ESTADO x LIBERALISMO x DEMOCRACIA

 

 

 

                        O sistema Capitalista se caracteriza pela economia do lucro, ou seja: meios de produção nas mãos do capitalista, exploração da força de trabalho do proletariado (mais valia) e um Estado...um Estado com um status de...Aqui começa o problema. Aqui inicia a questão da Estatização e Privatização que muito se diz hoje.

 

                        Alguns capitalistas liberais como John Locke (1632 - 1704), Adam Smith (1723-1790) e David Ricardo (1772-1823) entre outros, acreditavam que a economia podia andar sozinha (oferta e procura) e a mão invisível do mercado iria regular as relações econômicas e sociais. A este sistema econômico se deu o nome de Liberalismo Clássico (laissez-faire) onde a liberdade política e econômica seriam plenas. A propriedade é privada (privatização). Daí surge a Democracia. A Democracia (sistema político) é irmã gêmea do Liberalismo (sistema econômico). Há a liberdade econômica, social e política (mas na verdade quem usufrui são os capitalistas). Há o domínio da classe operária pelo capitalista através do capital.

 

                        A confusão se inicia quando uns defendem um liberalismo “mais liberal” e uma democracia “mais restrita”. Ou vice versa. Os liberais radicais podem ser a favor, como exceção, de uma ditadura para manter o sistema econômico Liberal; por outro lado os Democratas podem querer um liberalismo mais controlado.

 

                        Mas, como seria esse liberalismo mais controlado? Resume-se no papel do Estado. A força do Estado junto à sociedade. Logo, quanto mais liberal for a sociedade mais fraco será o Estado. Assim Marx pensava. Contudo, nem sempre é assim. Para usar alguns exemplos atuais, o regime militar no Brasil dos anos 60 (ditadura) tinha o sistema econômico Liberal, todavia o Estado era muito forte e além do que  não havia democracia. Era forte para beneficiar os capitalistas. Outro exemplo: recentemente, com a crise imobiliária, os EUA tiveram que atuar fortemente, enquanto Estado forte, na economia para salvar os bancos e as grandes empresas; nem por isso deixaram de ser capitalista liberal e apesar disso mantiveram a Democracia.

 

 

 

SOCIALISMO

 

                        O Socialismo também não tem melhor sorte. A confusão é grande. Senão vejamos: O Socialismo é um sistema que ainda não existe! Ainda é pura invenção de Marx. Está dentro do Capitalismo-Imperialista; é a antítese que “briga” dentro deste sistema. Quer se transformar em síntese e ocupar seu espaço na história. Mas, ainda é uma idéia. Para alguns um desejo muito sonhado, chegando a ser um delírio. O Socialismo Econômico se baseia num sistema de produção nas mãos do proletariado (faz tempo que não vejo nenhum pelas ruas). Neste sistema a propriedade é pública ou coletiva e a administração dos meios de produção e a distribuição de bens produzidos é da sociedade (proletariado) e se caracterizada pela igualdade de oportunidades para todos os indivíduos. Para que seja possível administrar tudo isso, se faz necessário um Estado forte e totalitário. Então, a Ditadura do proletariado (sistema político) é irmã gêmea do Socialismo Econômico (sistema econômico). Não há liberdade econômica, social e nem política (só os burocratas do Estado Ditador usufruem de liberdade). Há o domínio da classe capitalista pelo operário através do Estado. Segundo Engels (1820-1895), amigo de Marx, a ditadura do proletariado sanguinária é justificável porque ela não acaba em si, ela é uma forma de garantir a abolição da sociedade que acabará, num futuro próximo, com o Estado e com as Classes Sociais, ou seja, o objetivo da Ditadura do Proletariado é expandir a Consciência de Classe e construir a sociedade Comunista (tema a ser analisado abaixo). Os fins justificam os meios. É por isso que os atuais Socialistas defendem o “quanto pior melhor”. Quanto pior estiver a sociedade Capitalista, maior será sua crise e mais perto do Socialismo estaremos.

 

                        A URSS era Socialista? O sistema político era Ditadura Fascista e o sistema econômico era Capitalista de Estado. Mas aquele bloco fechado poderia ser considerado Socialista? Não. A Rússia não era Capitalista no início do século XX; era feudal. Lembre-se, segundo Marx o Socialismo só irá eclodir depois que o sistema Capitalismo-Imperialista estiver saturado. O que aconteceu é que um grande teórico marxista-socialista chamado Lenine (1870-1924) e que também era um grande político estrategista fez uma revolução em 1917 e tentou implantar o Socialismo naquela região do mundo. Teria dado mais certo se tivesse respeitado da dialética marxista e feito a revolução para implantar o Capitalismo, fase naturalmente posterior ao Feudalismo. Na URSS não havia as condições objetivas e subjetivas para se implantar o Socialismo, tanto que se transformou em mais uma ditadurazinha sem um sistema econômico definido. Historicamente não durou muito.

 

 

 

 

COMUNISMO

 

 

                        Não, não...Comunista não como criancinha. É vegetariano.

 

                        O Comunismo está muito mais longe. A confusão sobre esse tema é ainda maior.

 

                        As pessoas costumam usar o termo comunista como sinônimo de socialista, e vice versa. Mas, são coisas bem diferentes.

 

                        O Comunismo, segundo Marx, é a fase superior do Socialismo. Nesta fase não há Estado, não há classes sociais dominantes, não há pátria. É a fase final da sociedade humana. Todos são iguais e decidem de forma igual. Parecido com o Comunismo Primitivo.

 

Alguns Comunistas teóricos, contemporâneos de Marx, Pierre-Joseph Proudhon (1809 – 1865) e Bakunin (1814 - 1876), acreditavam que era possível passar do Capitalismo direto para o Comunismo sem passar pelo Socialismo. Porém, a crítica que os Socialistas faziam e fazem a esses teóricos é que estavam errados, pois para o Comunismo vir a existir é necessário o Estado forte do Socialismo (Ditadura do Proletariado) para libertar a sociedade da idéia do próprio Estado e do domínio de classes. Se houvesse a passagem do Capitalismo direto para o Comunismo a sociedade ficaria uma Anarquia, uma bagunça. Esses teóricos ficaram conhecidos como Anarquistas.

 

 

DILMA (PT) E SERRA (PSDB)

 

                        Quem quer uma passagem mais branda do Capitalismo para o Socialismo é xingado de Liberal ou Neoliberal, pelos Socialistas. Por outro lado, quem defende que o Socialismo deveria ter acontecido “ontem” é conhecido como radical ou “Neoandertal”, pelos Capitalistas. Quem se diz socialista, quer, necessariamente, um Estado mais forte com uma burocracia totalitária e é a favor da Ditadura (proletária); assim sendo, é contra a democracia. Se a Dilma era socialista e lutou contra a ditadura brasileira nos anos 60, ela não lutou pela democracia, lutou para trocar de uma ditadura de direita (capitalista) pela outra ditadura de esquerda (proletária). Se o Serra quer privatizar empresas públicas é chamado de (Neo)Liberal, mas defende a democracia e é contra qualquer  ditadura. 

 

                        O Partido dos Trabalhadores – PT é chamado por alguns “socialistas clássicos” como Neoliberal/Social Democrata. Por alguns “capitalistas clássicos” como Socialista Radical/Comunista que come criancinha. Os petistas são considerados ditadores.

 

                        O Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB é chamado por alguns “socialistas” como Neoliberal, privatizante e contra os servidores públicos porque não quer um Estado forte com uma burocracia bem paga. Por alguns “capitalistas” são vistos com desconfiança; desconfiam das suas reais intenções, acreditam que é um partido “melancia”, ou seja, verde (capitalista) por fora e vermelho (comunista) por dentro.

 

                        Alguns acreditam que os Socialistas (assim são conhecidos os PTistas) no comando do Estado usam os órgãos públicos ao seu bel prazer. Não têm escrúpulos para usar a máquina do Estado para terem mais poder. Não sentem nenhuma vergonha; afinal de contas, o Estado é o instrumento para uma sociedade mais evoluída, o Socialismo. Os fins justificam os meios. Tais afirmações poderiam ser sustentadas com fatos recentes de utilização da Caixa Federal, Receita Federal, Petrobrás e tantas outras empresas públicas para quebrar sigilos e direitos individuais, o que até seria justificável para os Socialistas. Apesar disso, têm vergonha em usar a máquina estatal para se enriquecer e beneficiar as empresas privadas.

 

                        Outros dizem que os Capitalistas (assim são conhecidos os PSDBistas-Tucanos) no comando do Estado usam os órgãos púbicos para beneficiar as empresas privadas (privatização) mas teriam vergonha em quebrar o estado democrático de direito e desrespeitar os direitos individuais.

 

                        Como se pode ver, tanto o PT quanto o PSDB estão em crise existenciais. Pois, em certas circunstâncias defendem, paradoxalmente, o inconciliável, ou seja: o Liberalismo Econômico com o fortalecimento do Estado ou uma Economia Social Igualitária com um Estado frouxo.

 

                        Como explicar isso? Não é fácil. Ocorre que todos, Socialistas, Capitalistas, Social-Democratas, PTistas e Tucanos vivem na realidade concreta de uma sociedade Capitalista-Imperialista que tem no seu âmago o Socialismo germinando e crescendo. Não dá mais para ser um Capitalista puro (já passou sua época) mas também não dá para ser um Socialista puro (ainda não chegou sua época). Estamos numa fase pré-revolução socialista. Mas não se preocupem, não é preciso tirar o dinheiro do banco e nem abrir a porta de sua casa para dividir o quarto com um estranho sem teto. O Socialismo virá num futuro longe, muito longe...Seus tetranetos ainda viverão no sistema capitalista atual.  



SOCIAL-DEMOCRACIA

 

                        A Social-Democracia está entre o Capitalismo e o Socialismo. Alguns Socialistas contemporâneos de Marx acreditavam que será possível passar de um sistema para outro sem Revolução. Bastam simples Reformas do sistema Capitalista. Esta idéia se desenvolveu e nos dias atuais já existem vários partidos políticos pelo mundo que se autodenominam Social Democratas. Os Social-Democratas clássicos acreditam que a Política poderá fazer Reformas na democracia e na economia a ponto de não haver necessidade da Revolução sangrenta Socialista e nem de uma luta de classes para se chegar ao Socialismo.

 

                        A Social-Democracia “evoluiu” e hoje já há aqueles que acreditam que com Reformas político-sociais não é mais necessário se chegar ao Socialismo para se ter uma sociedade justa e igualitária. É o Welfare State Democrático (Estado do Bem Estar Social). Os nossos contemporâneos Social-Democratas querem reformar o Capitalismo democraticamente através de regulação estatal e da criação de programas que diminuem ou eliminem as injustiças sociais inerentes ao Capitalismo, tais como a Bolsa Família.

 

 

PT = PSDB

 

                        Enganam-se quem acha que o PT é Socialista e o PSDB é Capitalista. Ambos são Social-Democratas. Ambos são ao mesmo tempo Capitalistas e Socialistas coexistindo em um mundo híbrido Capitalista/Socialista.

 

                        A diferença é que o PT age como Social-Democrata, tenta ter uma prática Capitalista e sonha com o Socialismo. O PSDB age como Social-Democrata, consegue ter uma prática Capitalista e tem pesadelos com o Socialismo.

 

                        Quando sobem ao poder, as questões econômicas e políticas são relativizadas de acordo com os índices do ibope. Ambos vivem em crises existenciais no poder ou fora dele.

 

 

ENFIM...SOBRE O TEXTO

 

 

                        Bem, agora ficou fácil analisar o texto “Universidade Texas Tech” e saber onde está o seu erro.

 

                        Em resumo, o professor americano tentou implantar o Comunismo (e não o Socialismo) sem passar pela “ditadura do docente” onde obrigaria todos a terem consciência de classe (aqui no sentido de classe de sala de aula) e a serem justos e igualitários. O professor americano era, na verdade, um Anarquista.

 

                        Mas, mesmo se tivesse implantado sua “ditadura do professor” teria conseguido uma classe justa e igualitária? Será que o livro a “Revolução dos Bichos” do escritor George Orwell já não nos respondeu?